Express Medical

Conheça nossa loja Online: www.expressmedicalstore.com.br

sexta-feira, 8 de março de 2013

A mulher ostomizada e a sexualidade

O Dia Internacional da Mulher comemora-se muitas coisas. Inclusive as dificuldades que a mulher é capaz de enfrentar ao longo da vida.

A ostomia, para quem sabe o que é e convive com isso, traz muitas dúvidas à mulher em especial. Roupas, feminilidade, questões hormonais e também sobre a sexualidade.

Sexualidade não é sinônimo de sexo somente. É um termo que pode significar várias coisas em pessoas diferentes; tem por base as crenças, valores e regras vigentes na sociedade.

O aparecimento da Ostomia a qualquer indivíduo é, quase sempre, um obstáculo ou limitação aos seus interesses e necessidades. Constitui uma fonte de insatisfações, sofrimentos e problemas de adaptação a uma nova situação.

Um diagnóstico como este implica a gestão de um turbilhão de emoções e a mobilização de todos os recursos e capacidades do indivíduo. Na tentativa de ultrapassar o problema oncológico, as mulheres são sujeitas a intervenções que podem alterar profundamente a sua imagem corporal, confrontando-se assim, com um problema que envolve o psicológico, social, reintegração profissional e sexual, inclusive.

Para algumas, o simples fato de terem algum problema como a Ostomia pode provocar dúvidas sobre sua identidade sexual e, talvez por este motivo, possa sentir-se envergonhada para questionar os profissionais de saúde suas preocupações sexuais.

Por isso, listamos algumas dicas que podem ser seguidas para deixar o ostomizada mais tranquila e segura nesta hora. Confira!

– Procure esvaziar a bolsa antes da atividade sexual;
- Fale com o (a) parceiro (a) sobre sua condição;
- Evita os alimentos que provoquem flatulência;
– Adotar posições confortáveis durante o ato sexual;
– Consulte sempre seu andrologista e/ou ginecologista;

E sobre tudo, confie em você e na sua autoestima. A adaptação emocional à ostomia é variável, mas leva muito mais tempo a adaptar-se emocionalmente do que a aprender a tratar dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário